Arquivo de dezembro, 2009

Mais uma boa razão para os Aliados terem vencido a guerra.

Posted in Textos on dezembro 18, 2009 by ccmaximus

Os bailes para os GI’s americanos eram animados por maravilhas como essa canção do vídeo, interpretada por Louis Jordan. Dá quase vontade de ser colonizado por essa gente:

Já no gosto popular alemão imperavam as insuportáveis fanfarras marciais, como essa abaixo, da SS:

Bem ao gosto dos caras que gostavam de andar com acessórios de couro, botas altas e chicotinhos, não? Daria certo como tortura psicológica hoje em dia.

Já imaginaram se em vez do “imperialismo da indústria cultural americana”, a moda musical no pós-guerra tivesse sido ditada pela Alemanha?

Quais bons livros disponíveis sobre a FEB?

Posted in Textos on dezembro 3, 2009 by ccmaximus

O leitor Franklin pergunta: “Que livro vc recomendaria que cubra a campanha da FEB na Itália, com boas fotos e com bons detalhes sobre as principais unidades (regimentos, tropa especial, etc) da força expedicionária?

Abs
Franklin”

Recomendo o livro de Ricardo Bonalume Neto, “A Nossa Segunda Guerra”. Ele está esgotado, mas acho que você consegue encontrar uma cópia na Estante Virtual (é preciso fazer o cadastro antes). Há um bom apêndice fotográfico e uma síntese da história da FEB equilibrada e que alcança um bom nível de detalhamento.

Mas também não podemos esquecer dos clássicos, como o livro de Manoel Thomaz Castello Branco (Bibliex, 1960) e o próprio livro de Mascarenhas de Moraes, “A FEB Pelo Seu Comandante”.

O penúltimo tem documentação exaustiva, e o último é na verdade o relatório final de campanha redigido no Estado Maior da FEB. A leitura não flui tanto como no livro do Bonalume, mas são livros necessários por representarem, em primeiro lugar, a versão oficial da história da FEB, e em segundo pelo detalhamento de dados como feridos, mortos, datas, referências cartográficas e unidades empenhadas no front.

Por último, recomendo o “Depoimento dos Oficiais da Reserva Sobre a FEB”. Procure a edição de 1949, não censurada. É um contraponto ao livro de Mascarenhas, ácido nas críticas, e ao mesmo tempo um testemunho da experiência de guerra a partir das lembranças de oficiais, profissionais liberais na vida civil, que fizeram a Campanha da Itália.

Espero que tenha ajudado.