Comentando alguns trechos da resenha do “Barbudos”

Depois de algumas semanas da publicação da resenha na FSP, hoje conversei com um colega de profissão que me perguntou por que eu tinha julgado que o texto do jornal havia sido impreciso. Cito aqui alguns trechos, com comentários. Lógico, essa polêmica só interessa a meia dúzia de historiadores e demais interessados na história da FEB. Para o resto da humanidade, a discordância com o jornal já se trata de algo insignificante e esquecido.

“A posição ajuda a explicar a falta de preparo dos brasileiros que foram lutar na Itália, conforme novas pesquisas estão revelando.
Elas mostram que os pracinhas mal sabiam usar as armas que recebiam do exército americano. Deixam claro, ainda, que os aliados chegaram a ficar preocupados com a pouca experiência dos colegas que chegavam para lutar na guerra.”

As “novas pesquisas” não estão revelando que os brasileiros chegaram despreparados à Itália. A falta de treinamento da FEB já é conhecida desde o tempo da guerra, e Mascarenhas de Moraes discutiu bastante o assunto em 1947. O que o livro procura explicar e avaliar são as razões deste despreparo. De onde elas teriam se originado? Da incapacidade dos soldados em aprender? Da suposta sabotagem à FEB, causada pelas omissões de parte da liderança militar em apoiar o preparo da expedição (algo que Mascarenhas também denunciou em 1947)? Da doutrina francesa?

E a respeito da falta de proficiência com as armas, não há explicação sobre em qual momento da campanha o problema foi mais evidente – algo que é uma discussão fundamental no livro. Quais armas eram desconhecidas? Por qual unidade da FEB? Por quê? Quando? Essas são perguntas que um historiador profissional não deixaria de fazer, ao tentar entender um tema tão delicado.

Além disso, parte considerável do livro tenta entender como a correção destes problemas foi conduzida. “Pouca experiência” de uma tropa que acabou de chegar à guerra é claramente um oxímoro. O desempenho em combate precisa, necessariamente, ser entendido ao longo do processo de aquisição de experiência, instrução pré e pós engajamento no front.

“Um desses documentos mostra que, em 1945, os americanos reclamavam que as deficiências de treinamento dos brasileiros causavam baixas desnecessárias às forças aliadas.

A motivação da bronca tinha sido um erro pueril cometido em 12 de dezembro de 1944 por um grupo de combate da FEB. Os brasileiros invadiram uma casa cheia de alemães, matando todos os inimigos.

Partiram, no entanto, sem inspecionar o porão. Um único soldado alemão ficara escondido por lá. Após a “lamentável negligência”, ele, sozinho, metralhou 17 brasileiros pelas costas, matando todos eles.”

O documento citado não é originário dos observadores americanos. O livro identifica claramente a autoria do relatório: foi emanado da Infantaria Divisionária, e é assinado pelo General Zenóbio da Costa. Qualificar como “erro pueril” um incidente de combate que custou a vida de DEZESSETE SOLDADOS, além de maldoso, é um tipo de julgamento que o livro faz questão de evitar. O aspismo ao citar a “lamentável negligência” não deixa claro se a expressão provém do livro. Na verdade, ela é uma citação textual do próprio documento brasileiro.

A menção desconexa feita ao documento reproduzido no jornal também desconsidera um fator importante para sua interpretação, que é o fato do incidente ter envolvido uma fração de tropa ainda sem treinamento completo, mas que apresentou alto nível de agressividade na ocasião. Esse pormenor deve ser considerado quando se procura entender o desempenho em combate da tropa brasileira nos primeiros ataques ao Monte Castello e os problemas de treinamento que envolveram a formação da divisão.

Há mais coisas, mas vou parar por aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: