Feitas para durar.

As fotos a seguir foram tiradas no Iraque por um sargento da 101.a Divisão Aerotransportada, os “Screaming Eagles.” Elas mostram algumas das armas capturadas das mãos de insurgentes durante operações ofensivas. Uma das fotos mostra um M1 Garand, outra um fuzil Mauser 98K. O itinerário que essas armas percorreram para chegar até as mãos de guerrilheiros iraquianos e terroristas da Al Qaeda não foi claramente establecido, mas como os excedentes de armamentos da Segunda Guerra Mundial alimentaram incontáveis guerrilhas e guerras durante a Guerra Fria, a permanência dessas armas em uso não constitui exatamente uma surpresa. Várias delas surgiram novamente em mãos de combatentes nas guerras dos Balcãs durante os anos 90, ainda em condições de uso. Eram amplamente apreciadas pela letalidade dos cartuchos utilizados na Segunda Guerra Mundial, em calibres como o 7.92 e o .30.06, mais potentes que os calibres 5.56 adotados pelos EUA atualmente. Essas fotos são um testemunho da robustez e eficácia do armamento de infantaria empregado por aliados e alemães na última grande guerra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: